Aposentadoria da Pessoa com Deficiência

Aposentadoria da Pessoa com Deficiência




O que é a Aposentadoria da Pessoa com deficiência



A Aposentadoria da Pessoa com Deficiência está prevista no artigo 201, § 1º, I, da Constituição Federaço de 1988 com redação da Emenda Constitucional de nº 103/2019 - Reforma da Previdência e na Lei Complementar nº 142 de 2013

Trata-se de modalidade diferenciada de aposentadorias programadas e voluntárias por tempo de contribuição e por idade com redutores de tempo de contribuiçao e idade.

A aposentadoria por tempo de contribuição é benefício devido ao cidadão que comprovar o tempo de contribuição necessário, conforme o seu grau de deficiência. Deste período, no mínimo 180 meses devem ter sido trabalhados na condição de pessoa com deficiência.


Os requisito da Aposentadoria por Tempo de Contribuição do deficiente são os seguintes:

  • 25 (vinte e cinco) anos de tempo de contribuição, se homem, e 20 (vinte) anos, se mulher, no caso de segurado com DEFICIÊNCIA GRAVE;
  • 29 (vinte e nove) anos de tempo de contribuição, se homem, e 24 (vinte e quatro) anos, se mulher, no caso de segurado com DEFICIÊNCIA MODERADA;
  • 33 (trinta e três) anos de contribuição, se homem e 28 (vinte e oito) anos, se mulher, no caso de segurado com DEFICIÊNCIA LEVE;

Já os requisitos da Aposentadoria por Idade do deficiante são os seguintes

  • 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, independente do grau de deficiência;
  • Tempo mínimo de contribuição de 15 (quinze) anos, comprovada a existência de deficiência durante igual período;

O segurado deverá ainda possuir a condição de pessoa com deficiência na data da entreda do requerimento ou na data da implementação dos requisitos para o benefícios (Art. 70-A, RPS)

É considerada pessoa com deficiência aquela que tem impedimentos de longo prazo, de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, impossibilita sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas, de acordo com a Lei Complementar nº 142, de 2013.

A Lei Complementar nº 142/2013 é expressamente retroativa aos fatos anteriores à sua vigência e prevê que a existência de deficiencia anterior à data da sua vigência deverá ser certificada, inclusive quanto ao seu grau, por ocasião da primeira avaliação, sendo obrigatória a fixação da data provável do início da deficiência conforme art. 6º.

Os segurados que tiverem dúvidas sobre os benefícios da previdência social podem buscar a orientação de um advogado especialista em direito previdenciário.

A aposentadoria aos segurados com deficiência tem base constitucional no art. 201, § 1º da Constituição Federal, com redação conferida pela Emenda Constitucional n. 47/2005, que assim dispôs:

“É vedada a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria aos beneficiários do regime geral de previdência social, ressalvados os casos de atividades exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física e quando se tratar de segurados portadores de deficiência, nos termos definidos em lei complementar”

O cidadão que se aposentar como deficiente pode continuar trabalhando ou mesmo poderá ser cancelada a a aposentadoria pode ser cancelada a pedido do beneficiário, desde que não tenha ocorrido o recebimento do primeiro pagamento, nem o saque do PIS/PASEP/FGTS em razão da aposentadoria;

É sempre aconselhável que na hora de requerer um benefício previdenciário o segurado procure um advogado especialista em direito previdenciário. Com o auxílio deste profissional o segurado terá maiores chances de êxito tendo em vista a burocrácia que hoje existe nos órgãos de previdência do país.



Outras Aposentadorias



Outros Serviços






__

GALVÃO ADVOCACIA PREVIDENCIÁRIA

Contatos e Agendamentos:

  (71) 3142-5042

atendimento@galvaoeadvogados.com.br

Horário de Funcionamento:

__

Segunda a sexta das 08:00 às 17:00